blog

Armadilhas comuns ao instalar sensores em dutos de HVAC

Armadilhas comuns ao instalar sensores em dutos de HVAC
Senior Product Manager
Lars Stormbom
Senior Product Manager
Published: Dec 18, 2019
Buildings and Indoor Air Quality
Medições industriais

Esta é a segunda de uma série de três postagens do blog que aborda as armadilhas comuns ao instalar sensores de HVAC, concentrando-se nos erros de medição física que são causados pela instalação incorreta. Essa postagem discute os erros comuns de instalação de sensores em dutos de HVAC.

Diferenças de temperatura

Para sensores em dutos, a causa mais importante de erros de medição são as diferenças de temperatura entre o ar dentro e fora do duto, por exemplo, se você estiver tentando medir as condições de ar externa colocando um sensor de dutos no duto de ar de entrada. Geralmente, há uma diferença de temperatura grande entre as temperaturas de ar do duto e ar externo, fazendo o calor fluir pelo duto e aumentar ou diminuir a temperatura indicada. Obviamente, isso também distorce as medições de umidade, especialmente se houver grandes diferenças de temperatura. Se o duto tiver alta umidade com uma temperatura externa inferior, poderá haver condensação. Com baixas velocidades de fluxo, os efeitos do calor proveniente de fora do duto são mais pronunciados. Para ter medições precisas, é importante evitar essas situações. 

Você precisa tomar muito cuidado ao usar dutos isolados, pois elas aumentam a diferença de temperatura entre o duto e o ambiente. Talvez seja necessário abrir o isolamento do sensor e colocá-lo dentro do isolamento especial para que a caixa de componentes eletrônicos fique mais perto da temperatura do duto. Uma profundidade de inserção pequena também aumentará esses efeitos. A diferença de temperatura é a causa de erros mais comum dos sensores em dutos. 

Instalações de perna inoperante

Também é bastante comum instalar sensores em dutos em uma perna inoperante (Figura 1). Nessa situação, o fluxo de ar principal não passa pelo sensor em duto, de modo que o ar medido não é representativo da umidade e da temperatura do fluxo de ar principal. Para evitar esse problema, o sensor deve ser instalado diretamente no fluxo de ar principal.  Isso é importante principalmente se houver alta umidade e baixas velocidades de fluxo no duto.

Dead-leg installation

Figura 1. Sensor em duto instalado em uma perna inoperante, levando a medições imprecisas

Condensação

Se houver problemas de condensação, eles piorarão se você montar o sensor apontado para baixo. A condensação geralmente ocorre quando o sensor em duto é instalado no duto e, se o sensor estiver apontando para baixo, a água condensada vai descer no sensor e distorcer as leituras - talvez até mesmo causando corrosão ou danificando o sensor permanentemente. Os sensores devem ser montados na horizontal ou, se precisarem ficar inclinados, monte-os inclinados para cima e não para baixo. 

Os sensores de umidade costumam ser usados para controlar a umidificação. Um umidificador em spray, por exemplo, borrifa pequenas gotas de água, e leva algum tempo para essas pequenas gotas evaporarem. Montar os sensores em dutos muito perto dos umidificadores faz com que as gotas de água sejam borrifadas nos sensores de umidade ou temperatura. As gotas de água se acumulam e a condensação no sensor afeta a precisão das medições. No pior caso, o sensor pode ser totalmente arruinado. Pior ainda, será impossível controlar qualquer coisa usando as medições feitas por um sensor que é afetado constantemente pela condensação. A distância mínima entre um umidificador e um sensor em duto depende das taxas de fluxo e do tipo de umidificador, mas, como regra geral, os sensores em dutos devem ser instalados a cerca de 5 metros de distância dos umidificadores. 

Costuma ser útil fazer um orifício de passagem ao montar um transmissor em duto para que você possa usar posteriormente uma sonda de referência para verificar as leituras (Figura 2). O orifício pode ser coberto com fita de duto quando não estiver em uso. 

Feedthrough hole

Figura 2. Adicionar um orifício de passagem ao montar um transmissor em duto permite verificar as leituras com uma sonda de referência.

Para sensores de CO2 e gás,  um design bem comum é a chamada captura de fluxo. Isso acontece quando parte do fluxo de ar do duto é capturado e direcionado para a caixa de componentes eletrônicos, fora do duto, onde a medição real é realizada. O ar retorna ao duto, supondo que as passagens, tampas e a montagem do duto em si sejam herméticas. Se houver algum vazamento, o fluxo de ar provavelmente não entrará na caixa de componentes eletrônicos, de modo que você medirá o ar externo em vez do ar no duto. 

Alguns sensores são projetados para medir a parte interna dos dutos, e eles são menos propensos aos tipos de erros causados por vazamentos.

Não perca nossa postagem de janeiro sobre armadilhas comuns ao instalar sensores de HVAC, concentrando-se nos sensores externos de umidade e CO2.

Saiba mais sobre nossos sensores em dutos de HVAC: HMD/W80, HMD/W110 e HMD60.

Add new comment