Sonda multigás MGP262 para metano e dióxido de carbono

Elimine as perdas. A Vaisala CARBOCAP® MGP262 mede continuamente a concentração de metano no gás residual expelido por sua unidade de beneficiamento de biometano para evitar que seus lucros escapem pelos ares. 

Concentre-se no que é importante. A MGP262 é a resposta para o problema de fuga de metano que sempre ocorre no processo de beneficiamento. Ela ajuda você a ajustar seu processo para evitar a emissão de gases de efeito estufa, deixando você livre para se concentrar na produção do melhor biometano possível.

  • Estabilidade superior de medição
  • Pouca manutenção e baixo custo de propriedade
  • Medição compacta in-situ, sem precisar depender de amostragem
  • Fácil instalação e operação

POR QUE ISSO É IMPORTANTE?
Satisfazer os aspectos financeiro e ecológico. É isso que a MGP262 representa. Quando se trata do gás residual expelido pelo beneficiamento do biogás em biometano, o CO2 pode e deve ser recuperado para uso posterior, por exemplo, em estufas e na indústria de alimentos, ou pode ser convertido em mais biometano por meio da metanização ou do processo de conversão de energia elétrica em gás (P2G). Isso faz sentido do ponto de vista ecológico e financeiro, especialmente porque suas emissões de CH4 custam dinheiro na forma de créditos de carbono.

TECNOLOGIA CONFIÁVEL
A MGP262 é baseada na tecnologia inovadora e premiada do instrumento multigás MGP261 e na tecnologia por trás do sensor infravermelho CARBOCAP™, que é o carro-chefe do portfólio de produtos industriais de medição de gás da Vaisala. Sua confiabilidade reproduzível e baixo custo de propriedade fazem com que ela seja uma solução simples e poderosa para uma questão que é econômica e ecológica.


Gás residual: Que volume é considerado demais?
Um pouco de metano sempre acaba indo parar no fluxo de exaustão, e essa fuga de metano poderá ser ainda maior em um motor de Combinação de Calor e Energia Elétrica se você deixar de gerenciar o processo corretamente. Se mais de 2% do metano que entra se perder na atmosfera, suas emissões de gases de efeito estufa seriam iguais ou piores do que as de CO2 de combustíveis fósseis. De fato, os limites de emissão de metano são geralmente ainda mais rigorosos. Gás residual sem RTO ou outras formas de remoção de metano normalmente é composto por mais de 95% de CO2, ~1% CH4, sendo o restante geralmente nitrogênio e vestígios de oxigênio e vapor de água.

É possível reduzir as emissões de CH4 com o ajuste cuidadoso do seu processo de beneficiamento através do monitoramento em linha, e a MGP262 é a ferramenta perfeita para isso. Se você usa a oxidação térmica regenerativa (RTO) para reduzir ainda mais as emissões de metano, uma medição de metano em linha antes de RTO será útil. A questão principal é que, se não for dada a devida atenção às emissões de CH4 no gás residual, você perderá dinheiro e prejudicará o meio ambiente.

caracteristicas
Faixa de medição 0...5% CH4
Precisão da medição +-0,15 %
Unidade compacta e independente certificada para ambientes Ex.
Sensores ópticos duráveis, integrados e autolimpantes.
Baixo custo de propriedade. Sem consumíveis, sem amostragem necessária.
+ Mostrar mais

Principais benefícios

Trabalhe com eficiência
Tecnologia verdadeiramente robusta. Fácil de instalar e operar, sem a necessidade de consumíveis ou amostragem, a MGP262 ajuda a garantir que sua unidade de beneficiamento funcione da maneira que você precisa.
Mantenha o controle sobre todo o processo
Otimize todos os momentos do seu processo de beneficiamento com a medição contínua da MGP262.
Obtenha benefícios econômicos e ambientais
Acabe com as perdas de metano e dos lucros. A MGP262 ajuda a minimizar a quantidade de gás metano residual e reduzir até mesmo os custos com créditos de carbono.

Assista ao vídeo

Vaisala MGP262 Multigas Probe

Histórias do Cliente